Metáfora del escenario

Roles y actores en la escena organizacional mediatizada

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.18861/ic.2020.15.2.3017

Palabras clave:

metáfora, mediatización, comunicación estratégica, cultura de innovación, comunicación organizacional

Resumen

Comprender a las organizaciones es esencial para entender la construcción de la dinámica social contemporánea. Con la superposición cada vez más evidente entre comunicación, sociedad y cultura, es necesario develar las complejas relaciones que las organizaciones establecen en la sociedad mediatizada. El presente artículo pretende explorar la teoría de la dramaturgia social de Erving Goffman y su aplicación en el contexto organizacional mediatizado, articulando algunos aspectos centrales de las organizaciones contemporáneas: comunicación organizacional y estratégica, mediatización y cultura de innovación. Para esto, realizamos una revisión de la bibliografía académica referida a estos conceptos, relacionándolos con la teoría de la dramaturgia social, para luego reflexionar sobre la metáfora del escenario en el entorno contemporáneo. En las escenas de interacción en la sociedad mediatizada se revisan los roles de los actores organizacionales y se reconfiguran los escenarios, creando nuevas posibilidades para las organizaciones, así como desafíos y oportunidades para la comunicación organizacional.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Alana Nogueira Volpato , Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doctora (Cand.) en Comunicación, Universidad Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Brasil). Magíster en Comunicación, Especialista en Comunicación Popular y Comunitaria, y Licenciada en Comunicación Social y Relaciones Públicas, Universidad Estatal de Londrina (Brasil). Miembro, Grupo de Investigación en Comunicación y Movimientos Sociales (Brasil). Especialista en relaciones públicas, comunicación y movimientos sociales, y mediatización.

Citas

Baldissera, R. (2009). Comunicação organizacional na perspectiva da complexidade. Organicom., 6(10), 115-120.

Barichello, E. (2014). Midiatização e cultura nas organizações da contemporaneidade: o processo de midiatização como matriz de práticas sociais. Em Marchiori, M. (Org.), Contexto Organizacional Midiatizado (pp. 37-43). Rio de Janeiro: Senac.

Berger, P L. & Luckmann, T. (1978). A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis: Vozes.

Braga, J. L. (2006a). A sociedade enfrenta sua mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus.

Braga, J. L. (2006b). Mediatização como processo interacional de referência. Revista Animus, 5(2), 10-35.

Braga, J. L. (2012). Circuitos versus campos sociais. Em Mattos, M. Â., Janotti Junior, J & Jacks, N. (Org.), Mediação & Midiatização (pp. 31-52). Salvador/Brasília: EDUFBA/COMPÓS.

Braga, J. L. (2015). Lógicas da mídia, lógicas da midiatização? Em Fausto Neto, A, Raimondo Anselmino, N. & Gindin, I. L. (Org.). Relatos de investigaciones sobre mediatizaciones (pp. 15-32). Rosário: UNR Editora.

Bueno, D. A. (2018). Comunicação estratégica e estratégias de comunicação nas organizações em contexto midiatizado: a perspectiva da micro, pequena e média empresa do setor de alimentação fora do lar de bauru (s.p.). Dissertação de Mestrado em Comunicação, Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/157387

Calonego, R. (2018). A comunicação enquanto competência essencial: Um olhar para o protagonismo comunicacional nas organizações. Dissertação de Mestrado, Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/157339

Carillo, M. V. (2014). Comunicação Estratégica no ambiente comunicativo das organizações atuais. Comunicação e Sociedade, 26(1), 71-80. Recuperado de: http://revistacomsoc.pt/index.php/comsoc/article/view/2025/1945.

Coelho, P. J. (2011). Executivos negros: racismo e diversidade no mundo empresarial. Uma abordagem socio-antropológica. Tese de Doutorado, Doutorado em Antropologia Social, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, Brasil.

Etizioni, A. (1978). Organizações Complexas: um estudo das organizações em face dos problemas sociais. São Paulo: Atlas.

Godin, B. (2014). The Vocabulary of Innovation: A Lexicon. Project on the Intellectual History of Innovation. Working Paper, 20. Recuperado de: http://www.csiic.ca/PDF/LexiconPaperNo20.pdf

Goffman, E. (2007). A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Editora Vozes.

Lima, F. P. (2014). A dimensão comunicacional da estratégia: a estratégia organizacional como prática comunicativa na Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais. Tese de Doutorado, Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Hallahan, K. et al. (2007). Defining Strategic Communication. International Journal of Strategic Communication, 1(1), 3-35. Recuperado de: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=1198326&pid=S2183-3575201400020000300005&lng=pt.

Harper, C. (2016). Organizations: structures, processes and outcomes. Nova Iorque: Routledge.

Henriques, M. (2017). Dimensões dos públicos nos processos de comunicação pública. Em Scroferneker, M. & Amorim, L. (Org.), (Re)leituras contemporâneas sobre Comunicação Organizacional e Relações Públicas (pp. 53-66). Porto Alegre: EDIPUCRS.

Hjarvard, S. (2012). Midiatização: Teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural. Matrizes, 5(2), 53- 91.

Jucevicius, G. (2010). Culture vs. Cultures of Innovation: Conceptual Framework and Parameters for Assessment. In Proceedings of the VII International Conference on Intellectual Capital, Knowledge Management & Organisational Learning (pp. 236-244). Hong Kong: The Hong Kong Polytechnic University.

Marchiori, M. (2006). Cultura e comunicação organizacional: uma perspectiva abrangente e inovadora na proposta de inter-relacionamento organizacional. Em Marchiori, M. (Org.), Faces da cultura e da comunicação organizacional (pp. 77-94). São Caetano do Sul: Difusão Editora.

Marchiori, M. (2010). Os desafios da comunicação interna nas organizações. Conexão, Comunicação e Cultura, 9(17). Recuperado de: http://www.uel.br/grupoestudo/gecorp/images/os_desafios_de_comunica%C3%A7%C3%A3p_interna.pdf.

Marques, A. & Mafra, R. (2014). Diálogo e organizações: cenas de dissenso e públicos como acontecimento. Em Anais do VIII Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e Relações Públicas (pp. 500-512). Recuperado de: http://portal.abrapcorp.org.br/anais/

Mello, S. (2010). Comunicação e organizações na sociedade em rede: novas tensões, mediações e paradigma. Dissertação, Mestrado em Ciência da Comunicação, Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, Brasil. Recuperado de: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27154/tde-17082011-110313/en.php.

Morgan, G. (2002). Imagens da organização. São Paulo: Atlas.

OCDE (2005). Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. Recuperado de: https://www.oei.es/historico/salactsi/oslo4.htm

Oliveira, I. L. & Paula, M. A. (2008). Comunicação no contexto das organizações: produtora ou ordenadora de sentidos? Em Oliveira, I. & Soares, A. (Orgs.). Interfaces e tendências da Comunicação (pp. 91-108). São Caetano do Sul: Difusão.

Putnam, L. L., Phillips, N. & Chapman, P. (2004). Metáforas da comunicação e da organização. Em Clegg, R., Hardy, C. & Nord, W. (orgs.). Handbook de estudos organizacionais: ação e análise organizacionais (pp. 77-125) São Paulo: Atlas.

Veras, T. (2018). O nexo entre aprendizagem e comunicação na construção de culturas de inovação em micro e pequenas empresa. Dissertação, Mestrado em Comunicação, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/144212.

##submission.downloads##

Publicado

2020-11-20

Cómo citar

Nogueira Volpato , A. . (2020). Metáfora del escenario: Roles y actores en la escena organizacional mediatizada. InMediaciones De La Comunicación, 15(2), 139-156. https://doi.org/10.18861/ic.2020.15.2.3017